sexta-feira, 27 de maio de 2011

6 anos e estou na mesma!

Esta foto e de Abril de 2005, tinha acabado de fazer 18 anos e tinha a cabeça cheia de planos para o meu futuro (sempre sofri do mesmo mal desde que me conheço - pensar demais).
Lembro-me que não tinha bastante noção que a minha vida escolar estava no fim, que ia entrar para a faculdade e que ia conhecer um mundo novo, pessoas novas, vivências novas, por vários motivos.
O primeiro desde logo porque estava num agrupamento que não era o que eu de facto queria. Sempre quis ter seguido as artes mas como só havia no Porto e na altura, devido a cenas que se passaram com a minha irmã que neste momento está muito bem sucedida, sair da
minha cidade era uma enorme dor de cabeça para os meus pais. Uma amiga minha que não queria ir sozinha para o agrupamento de economia lá falou comigo e eu fui atrás, também porque eu adorava fazer as coisas diferentes do que a maioria faz (e continuo a fazê-lo).
O segundo motivo, que é o que me está a fazer vir aqui escrever, era o facto de ter a minha vida exageradamente preenchida com muitas coisas. Por incrível que pareça era um rapaz dedicado aos estudos, e quando não tinha nada para fazer fora do horário que eu definia para estudar... sim, exactamente, estudava - tinha o objectivo de ser o melhor aluno rapaz da minha turma, que acabei por conseguir; não conseguia competir com elas, porque eu não estava para m
e esfolar para tirar 19 e 20 a tudo.
Fora esses horários, ia ao ginásio 4 vezes por semana, andava em dois grupos de jovens (do coro, não tenho vergonha nenhuma de o dizer), cantava aos sábados e aos domingos e tinha concertos quase todas as semanas, era um rapaz bastante activo.
Nesta foto aqui, tenho 24 anos, tenho linhas mais adultas, tenho barba, ou amostra de ... , e estou num curso que nunca quis tirar, mas que fui obrigado a ir tirar, já que não conseguia entrar em Gestão na Faculdade de Economia do Porto e ir para Aveiro estava também fora de questão devido ao mesmo motivo que falei lá em cima. Então lá fui eu para o ISCAP estudar Contabilidade e Administração muito contra a minha vontade.
Fiquei lá im ano a mastigar aquilo e num Verão em que os meus pais foram de férias sozinhos pela primeira vez disseram-me exactamente isto: "Pedro, faz o que quiseres da tua vida que nós sempre te apoiaremos." Pois muito bem, o que foi que eu fiz? N A D A ! ! ! ! ! !
Ao fim de 6 anos sou finalista deste curso com ainda mais 5 cadeiras para concluir em Setembro. não é impossível mas as probabilidades de acabar são mínimas.
Ao fim de 6 anos sou uma pessoa que está presa num PC a ver vídeos do Youtube, a ouvir Britney Spears e Ayumi Hamasaki, quando sai é para apanhar uma valente bebedeira, que aos fins de semana vai trabalhar, vai a umas aulas, não faz exercício físico, deixou os grupos todos que tinha e parece-se com aquilo que eu mais repugno: pessoas que andam aqui a desperdiçar a própria vida.
E a verdade é que não consigo sair desta bola de vidro, eu tento, eu falo, eu digo que vou mudar, até sou capaz de o conseguir mas é só por um dia ou dois, depois volta tudo ao mesmo.
A bola de vidro como eu referi, deve-se muito ao eu ter de acabar este curso, porque sei que mal o termine, vou ser um "homem livre", mas as vezes paro para pensar, tive tantas oportunidades de mudar, porque é que não o fiz antes? E porque é que não o faço agora?
Só queria um botãozinho que me fizesse parar de pensar tanto e agir da maneira que eu penso, mas não consigo, de que me vale estar a tentar enganar? Eu nunca consegui desde que ganhei consciência não vai ser agora.

Tenho dito.