quinta-feira, 20 de maio de 2010

Quando for grande quero viver de subsidios!

A cada dia que passa cada vez mais percebo que tenho que sair deste país o mais depressa possível, pois aqui nunca conseguirei ser alguém ou subir na vida.
Cada vez que o país se depara com uma crise, o que fazem os Governos? Aumentam o IVA para o consumidor que recebe cada vez menos, aumenta o IRS e inventa uma taxa sobre salários como forma de "estimular" a economia...
Eu adorava conseguir encontrar alguma coisa nisto que estimulasse a economia. A minha? A da classe média?? Aquela que luta para conseguir ter uma vida cada vez melhor?
Não consigo encontrar... Eu falo por mim, sou apenas um em que a crise acabou por me bater a porta, e cada vez que se luta ca em casa para poder dar a volta por cima vem o Governo mandar-nos ter cada vez mais sacrifícios?
Depois chego sempre à conclusão que neste país não se pode ser rico. Na televisão na rádio ouço sempre: "esses que tem dinheiro tem que pagar mais bla bla bla bla bla". Tudo bem que por um lado concordo, se supostamente contribuem em muito na criaçao de riqueza, devem dar a sua parte para o país, mas caramba, aqui vive-se a cultura de que o rico é criminoso e má pessoa... Eu gostava de poder ter uma vida mais folgada, poder ter acesso a alguns luxos, mas aqui parece que isso é pecado, além de ser tecnicamente impossível porque tenho sempre que acarretar com os impostos e as suas subidas respectivas.
Aqui quem trabalha e quer ter mais algum simplesmente é vítima de corte das suas pernas. Não dá! É crime querer ser-se alguém na vida, construir riqueza (e estou-me so a referir aquela riqueza "honesta", à custa de muito suor).
Depois há o lado oposto, daqueles que fazem dos subsídios o seu modo de vida. Esses também nunca estão mal em tempo de crise: não pagam impostos, tem acesso ao Serviço NAcional de Saude de graça, tem subsidio por cada nascimento, por cada filho para a escolinha deles. Que mais podem pedir?
Eu infelizmente todos os dias tenho que conviver com essas pessoas, e a sério, repugna-me ver por exemplo maẽs e filhas a discutirem para ver quem vai ter o filho primeiro só para receberem o tal subsidio (a mãe com os seus 40s e a filha com 15 anos); ou então a dizerem que o filho deles é empresário e na semana passada comprou um Audi A3; ou quando cheiram mal, ou quando não sabem falar nada de jeito, ou abrem a boca e da-me vontade de vomitar, ou quando se gabam que conseguem tirar 800€ por mês de subsidio...
É este o nosso país?? Quando se esta mal so se lixa quem trabalha e quer ter algum?
O defeito também é nosso que nunca fazemos nada...
Assim se cala as pessoas, da-se uns subsidios e pronto já não chateiam ninguém.
Estimula-se a burrice, o comodismo, a IGNORÂNCIA EXTREMA ....

Temos os valores todos ao contrário: aqui os maus da fita sao os ricaços, não os Rendimento Minimo que ganham a minha custa, à NOSSA custa!

E depois, fazem grandes obras de fachada como se nós fossemos um pais grande e fantastico para se viver.
MAs a verdade é que foi sempre assim. Antes não eram TGVs, eram os Descobrimentos: gastar o dinheiro todo para o ultramar enquanto que as pessoas aqui passavam fome tinham que levar com pestes etc.

Nós na prática nunca mudamos nada. A fachada serve para enganar a podridão que a generalidade do nosso povo é... E que nada faz para mudar..
5 de Outubro: mudou alguma coisa? Não sei.
25 de Abril: mudou alguma coisa? Sinceramente não me parece...
as vezes mais valia não ter havido o 1 de Dezembro de 1640 e pertenciamos a Espanha, mesmo com a crise que eles estão a ter penso que têm mais visão de futuro do que nós.

Continuar num país em que trabalho pra pagar aqueles que são INUTEIS?
Continuar num país em que se quiser ter mais sou condenado pela sociedade?

Basta, tenho mesmo que sair daqui!
Podem dizer que sou fraco por desistir do país, mas não quero ser mais um burro que deixa passar um percurso uma carreira uma vida, um objectivo ao lado...

Pronto foi o meu desabafo um pouco infantil sobre o que penso deste país.. Como sempre nunca preparo textos, vou escrevendo a medida que me saem as coisas da cabeça.

Tenho dito.

terça-feira, 11 de maio de 2010

Sonho vs Realidade vs Ansiedade

Estou neste momento de férias do meu local de trabalho, e sempre que tenho mais tempo para poder pensar na minha pessoa, naquilo que tenho e que quero vir a ter, rapidamente vem umas bombas de coisas armazenadas na minha cabeça que rebentam todas ao mesmo tempo.
E nesses momentos sinto-me como num muro sem portas tantas sao as coisas que correm a volta da minha cabeça.
Hoje lembrei-me quando era adolescente, tinha os meus 16 17 anos, e usava uma agenda talvez de 1992 que me deram quando fiz 5 anos, para escrever os meus estados de alma (sempre fui um bocado maluco da cabeça) e dizia que quando tivesse 20 anos já queria ter ido a Londres, a Atenas e a Tóquio e que queria ter um trabalho fixe e estudar a noite na faculdade e apanhar muitas bebedeiras e ser muito sociável e ter os dentes arranjados (sim, era um grande problema existencial quando tinha os dentes tortos).
Hoje olhei para mim e com tanta coisa que tenho pensado, revi-me nesse meu eu há 7 anos atrás. Agora os sonhos são outros, se bem que na prática são a mesma coisa: SONHOS!
Sonho em ir a Londres a Atenas e a Tóquio, a estudar e a trabalhar fora deste país, fazer aquilo que sempre fiz às "escondidas" em casa: criar coisas (num aparte, a única coisa que me ARREPENDO de ter feito na minha vida foi ter destruído tudo aquilo que criei num momento em que também tinha demasiado tempo para pensar em mim); escrever desenhar, fazer maquetas, etc. Podiam ser coisas sem importância nenhuma, mas a mim sempre foi algo que me deu vida, que me fazia acordar todos os dias bem disposto e ir para a cama ainda mais bem disposto.
A realidade é que não tenho tempo para isso e quando tenho simplesmente ou fico deitado na cama, ou fico a olhar para o relógio do meu computador a ver as horas a passar a passar a passar e qd dou por mim são horas de ir para a cama, ou já passa muito disso.
Outras vezes penso para mim que sou maluco em querer fazer essas coisas, que devia era agarrar-me aos livros e acabar o meu curso de uma vez por todas e ir trabalhar. Desvalorizo-me, e na maior parte das vezes acho que mereço isso, porque na hora de fazer um ultimo esforço acabo sempre por me conformar à inutilidade.
Neste momento o meu maior sonho e mal acabe o meu curso sair deste pais uns tempos para ir estudar, sei que se eu quiser eu consigo isso e muito mais, tenho capacidades para tal, não me estou a gabar, mas eu sei que sou bom naquilo que faço sem ter que me entregar totalmente a seja o que for. A principal barreira nisto tudo e que estou num curso que odeio simplesmente e querer estar motivado para dizer que vou acaba-lo e com grnade media e complicado. Pode parecer que me estou a contradizer, mas e mau demais quando vamos a luta e por um motivo simplesmente exterior a nós, cortam-nos as pernas os braços e a cabeça.
No entanto eu vou a luta e sei que para o ano tenho o canudo na mão, mas este impasse de já só faltar o ano está a criar a mim uma ansiedade tal que ja nem dormir consigo. Acordo mais cansado do que quando me vou deitar.
Falta-me encontrar um equilíbrio, se alguém me souber dizer onde está por favor, desesperado sempre estive, mas neste momento é um desesperado bastante preocupante que já vem desde o fim do ano passado !
Eu digo que sou bastante independente e autónomo, mas as vezes ter sempre alguém ao meu lado a dizer o que tenho de fazer ajuda-me. Sou uma pessoa que sabe aceitar e cumprir ordens de alguém.

E fico-me por aqui, peço desculpa de os meus textos serem sempre uma confusão mas eu vou escrevendo à medida que as palavras chegam a minha cabeça!